terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Põe Fé que já é

  Em outubro de 2012 eu conheci Arnaldo Antunes pessoalmente. Depois de ter assistido um show dele aqui em Brasília, eu fui atrás dele no hotel em que a banda estava hospedada e era aniversário de Arnaldo, e eu participei da festa. Foi uma das primeiras histórias que postei aqui. Desde então minha admiração por Arnaldo só cresceu, e eu falei com ele poucas vezes por E-mail nesses últimos anos, até que eu tive a oportunidade de revê-lo em novembro desse ano.




   Arnaldo fez um show grátis, na rua em frente ao Museu dos Correios e eu fui com Vinícius Valério e Rafael, dois amigos que eram meus vizinhos antigamente e me apresentaram ao Arnaldo. Vinícius e Valério me apresentaram muita coisa fantástica na música, e até viajamos juntos algumas vezes para ver alguns shows.






   Arnaldo entrou no palco por volta das 20hs, usando uma roupa inusitada, como já era de se esperar. Uma blusa de botão azul escuro, uma calça saruel preta e os dedos cheios de anéis. Arnaldo estava apresentando seu novo álbum ''JÁ É'', e cantou músicas novas, músicas de álbuns antigos, e até composições dos Titãs e dos Tribalistas. Nunca esperei ver Arnaldo cantando ''Velha infância'' e ''Passe em casa'', músicas que fez há anos atrás com Carlinhos Brown e Marisa Monte. Mas ele cantou, e eu filmei várias partes do show.
video

video

video








   Levei um desenho enorme para Arnaldo e ele o pegou e agradeceu mesmo do palco.






   No fim eu fui ao camarim dar um abraço nele e matar a saudade. Arnaldo, muito alto, me recebe no camarim com um abraço receptivo, dizendo: ''Grande mestre, continue desenhando assim. Nunca pare. Aquele desenho ficou genial, eu queria tirar uma foto com você segurando o desenho, mas a (falou o nome da produtora dele) já levou as minhas coisas.''


   Eu nunca sei sobre o que falar com Arnaldo Antunes, porque ele representa uma genialidade muito louca, e mesmo ele dizendo que me achava um gênio, eu me senti muito inferior ao lado dele. Ele então autografou algumas coisas pra mim e eu saí do camarim acompanhado de Curumim, um dos músicos de Arnaldo.




   Agora, neste exato momento eu estou aprendendo a usar a minha mesa digitalizadora, usando ferramentas do Photoshop, e aproveitei a inspiração Arnaldo para desenha-lo. Gostei do resultado:


  Para ouvir Arnaldo Antunes, lhe recomendo essas músicas:



Nenhum comentário:

Postar um comentário