quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Ei, hoje eu mando um abraçaço

  Em 2012 Caetano Veloso lançava seu mais recente trabalho, que na minha opinião é a melhor álbum já lançado por ele. ''Abraçaço'' ganhou Prêmio Latino de 2013 como melhor disco lançado no ano por compositor e Caetano preparou a turnê do disco, que veio logo pra Brasília de início, e eu fui ao show mas pela primeira vez, não consegui entregar um desenho. Tentei chegar perto de Caetano, mas como era meu início ainda, eu falhei e acabei não conseguindo. Em maio de 2014 eu refiz o desenho, melhorando bastante do anterior e o levei para o teatro Ullysses Guimarães no dia 09. Conheci Francisco, dono de um fã clube de Caetano no instagram (@caetanoefoda), e se não fosse por ele, eu não teria entrado no teatro e visto o show na segunda fileira, bem de frente pro Caetano Veloso. Francisco me deu um ingresso assim que eu cheguei no Ullysses levando apenas um desenho enorme e a grana do táxi.



  O show começou às 22 horas e Caetano abriu a apresentação com a música que abre o disco ''A bossa Nova é foda'', e seguiu com as outras músicas novas. Uma melhor que a outra, incluindo os clássicos que todo mundo conhece ''De noite na cama'', ''Reconvexo'', ''Luz de tieta'', dentre várias outras:




                                          

  No finalzinho do show, nas últimas três músicas, Caetano pediu que os seguranças tirassem os bloqueios da frente para que o público pudesse ficar mais pertinho do palco, e todo mundo avançou lá pra frente. Eu fiquei encostado no palco, exatamente no mesmo lugar onde vi Maria Bethânia dois meses antes. Fiz um vídeo bastante mal feito mostrando isso:
video

  No final do show passei nos camarins para ver Caetano, e já tinham vários fãs lá tentando entrar. Contornei o teatro até ver Marcelo Calado, guitarrista de Caetano e eu mostrei o desenho que eu havia feito pra Caetano e ele me levou pra dentro do backstage.

  Lá dentro fiz amizade com fotógrafos de importantes eventos de Brasília, os músicos da banda Cê que tocam com Caetano e finalmente pude bater um papo com Caetano Veloso, que me deu um abraçaço. Esse abraço me anestesiou pelas próximas duas semanas.


  Fui pra casa com a sensação de missão cumprida: tudo o que não tinha dado certo da vez anterior em que eu tentei entregar um desenho para Caetano, se recompensou nessa vez. Um dos fotógrados da Upiano Eventos me parabenizou dizendo que não é qualquer um que consegue conversar com Caetano Veloso nos camarins depois do show, e Caetano gostou da minha presença lá. Por semanas fiquei repetindo o verso: ''Dei um laço no espaço pra pegar um pedaço do universo que podemos ver / com nossos olhos nuz, nossas lentes azuis, nossos computadores luz''.

Um comentário:

  1. Parabéns, gostei bastante de tudo!
    http://www.fangirls.com.br/

    ResponderExcluir